19 de jul de 2011

Maratona do Rio de Janeiro - 2011

Dados da corrida:
Data: 17/07/2011
Largada: 7:35
Distância: 42,195km
Tempo: 04:11:22 (oficial)
Pace Médio: 05:57 min/km
Colocação: 1118/2178 no Geral e 180/317 na categoria 30/34 anos


Conseguir unir turismo pela cidade maravilhosa, que só conhecia a trabalho em 2001, e ainda correr uma maratona era o objetivo nesta corrida. E ao saber que outros amigos também iriam, me motivou, mesmo sabendo que seriam 28 dias após a maratona de SP, nada recomendável, mas não seria a primeira vez que faria algo não recomendável. :o)

Com a importante companhia da Giovana, partimos no sábado de manhã, antes das 7:00hs já estavámos na Dutra e fomos seguindo o carro do Jorge, Samira e sua filha Sâmia, onde estavam também com o casal Namiuti.

Viagem tranquila e fomos direto para o Bondinho, onde encontramos com o Michel Vinac e o Bruno Narezzi com suas respectivas. Depois do excelente passeio, vimos que já eram 13hs e até chegar no hotel já poderíamos fazer o check-in, ficamos no hotel MarPalace em Copacabana, parceiro das competições esportivas da cidade, com diárias mais acessíveis.

Após o check-in, fomos almoçar ali perto mesmo no SiqueiraGrill. Lugar muito bom também, tanto que ali jantamos e almoçamos no domingo também.

Surgiu a idéia de após o almoço de irmos ao Cristo Redentor, eu estava dividido entre ir e ficar descansando, acabei indo ao passeio e valeu a pena, outro ponto turístico incrível do Rio.

Retornamos ao hotel as 19hs e as 20hs fomos jantar, tentei pegar leve, mas impossível.

Pra dormir foi rapido, mas acordei algumas vezes na noite, talvez pela ansiedade; as 4:50hs estava de pé e a partir das 5:30hs o café estava disponível. A idéia era tomar o café no hotel e ir de taxi (rachando em 3) até a largada, deixando o Narezzi na praia do Pepê para a Meia Maratona. Aidéia na teoria era boa, mas o problema que muitos acessos estavam interditados e a Praia da Macumba onde seria a largada da Maratona, poucos taxistas conheciam o acesso. Resumindo, quando Michel e eu chegamos, o pessoal da elite já estava a todo vapor e teríamos que correr pelo menos 1,5km para chegarmos até a largada, assim fizemos, quando passei pelo tapete de largada, havia mais ninguém.

O Sol já batia de frente e parecia que iria castigar, mas uma brisa aliviava. Procurei achar meu ritmo, tava dificil, pois rodei "forte" até a largada e estava todo empolgado. No km3 encontrei com o xará Namiuti, conversamos um pouco, logo em seguida o Michel passou por mim. Encontrei com o Hideaki no caminho, fomos até o km 11 conversando sobre as maratonas mundo afora. Ali eu já tinha tomado um gel, estou usando o Accel e também as cápsulas de repositor de eletrólitos.

No km14 eu já sentia um pouco o cansaço, talvez do dia anterior e sabia que seria dificil lá na frente.

Dali em diante fui concentrado e curtindo as paisagens e reparando nos corredores ao redor, gente do Brasil inteiro e de várias partes do mundo, muito interessante ver as manias e estilos de cada.

Por volta do km19 senti dores no tendão em cima do pé, típica dor de quando amarramos o cadarço mais forte, parei e aliviei. Neste momento um cara parou do meu lado e começou a passar Biofenac na perna (dele né), pedi emprestado e passei no meu tendão dolorido também. Problema resolvido.

Quando chegamos em São Conrado já estávamos com 25km rodados e participação do público só aumentava, isso faz uma diferença pra mim. Em seguida vem a temida subida do Niemayer, onde subi bem, fazendo valer os treinos em subidas que fiz este ano. Interessante que ali ficam uns meninos pedindo seu boné, gel etc e onde podemos também ver de forma superficial como é a vida numa favela, já que ali acima existe uma.


Entrando no Leblon, um mundo de gente nas praias. Já eram quase 10hs, ali o incentivo era grande e eu estava me sentindo bem melhor, mais leve e correndo solto. Tomei a terceira capsula de repositor de eletrólitos e segui firme, tentando não forçar. No km 32 passei com 2h:59m de corrida, bom era só fazer pace de 6/1km até o final, parecia fácil pra quem vinha rodando a 5:40, apesar do calor e da umidade que não estou acostumado. Acho que mais até a umidade do que o calor.

No final da praia de Ipanema, por volta do km34,5, as coisas começaram e complicar pra mim. O tal do "muro" é cruel, vem de repente. Senti o corpo bem pesado e sabia que se forçasse as cãimbras iriam aparecer, resolvi caminhar um pouco, pois também sabia que no km37 as meninas estariam nos esperando pra tirar fotos, eu queria passar bem. Foram uns 500metros caminhando, voltei correndo mais devagar, passei por Copacabana bem e posei para as fotos. Ao entrar na Av.Princesa Isabel, havia uma banda, quando passei tocava Eyes of Tiger, tudo pra motivar.

No km 38 ou 39 passamos por um túnel, bem cruel, eu já estava bem cansado, mas procurei não andar, para acabar logo este túnel.

Mas ao sair deste túnel, caminhei e alonguei as panturrilhas que já estavam fisgando, fiz bem. Dali em diante corri melhor e no Aterro uma longa curva a esquerda e com a placa km41, onde começavam os treinadores e amigos virem "buscar" os corredores, faltava bem pouco. Eu já tinha desencanado do tempo, o que viesse tava bom. Ao avistar o km42, haviam uns 3 corredores ao meu lado, todos emocionados e contentes, assim como eu.

Foi só posar para as fotos e comemorar.

O tempo foi pior que a de SP de 2011(3:57) e até de 2010 (4:07), mas, mesmo assim fiquei contente com o tempo obtido, só o extremo cansaço que eu não esperava.

Peguei a medalha e o kit, comi e bebi tudo. O Michel chegou logo em seguida, conversamos um pouco também com o Namiuti e o Jorge que estavam por ali. Voltamos para o hotel, onde depois de um banho e do almoço já tava bom de novo, ainda bem, pois tínhamos 4 horas de carro pela frente. Valeu muito a pena, o Rio é realmente uma cidade muito bonita.

Agora é descansar e curtir as férias do trabalho!

4 de jul de 2011

Corrida Pinda 2011

Dados da corrida:
Largada: 9:00h
Distância: 9,98km
Tempo: 00:47:08
Pace Médio: 04:42 min/km
Link Garmin: http://connect.garmin.com/activity/96734859
Resultado Oficial: http://www.pindamonhangaba.sp.gov.br/downloads/corrida11/corrida2011_10k_masc.pdf
Colocação: 145/509

Galera dividida entre a Corrida Pinda e a da Longevidade em S.José Campos, uma pena. Mas a parte boa é que em ambas bastante gente enfrentou o frio e saiu pra se mexer. Eu decidi ir pra Pinda, a idéia era manter um ritmo bom, sem forçar muito, pois após a Maratona de SP, senti uma leve metatarsalgia que me deixou preocupado e sem treinar na semana pós-maratona. Voltei aos poucos e já me sentia confiante para a Corrida Pinda. Era uma prova chave pra mim, onde eu iria tentar baixar meu tempo nos 10km, mas fui desencanado e tentando fazer o melhor possível sem me machucar.

Este ano o trajeto ficou mais desafiador, com várias subidas, inclusive com a sobre a linha férrea. Sempre interessante novos percursos, ainda mais numa cidade que conhecemos.

Combinei com o Bruno Narezzi e o Fabinho Vilhena em irmos no famoso 5''/km, no começo forcei pra fugir do excesso de atletas, estava me sentindo bem e fui em frente. Sempre na "cola" dos dois amigos.

As subidas eram difíceis, mas procurei forçar nelas e com receio da volta da dor, procurei aliviar nas descidas e seu grande impacto.

No último km forcei um pouco devido a dois "coelhos" que me acompanhavam. Cheguei bem e creio que toda a carga de treinos da maratona nos dá uma bagagem, principalmente um folego pra chegarmos bem e sabendo que dava pra puxar mais. Um leve incomodo no pé no final da prova, mas coisa pouca. Esta semana irei procurar um protetor de metatarso indicado pelo fisioterapeuta Alexandre da assessoria IserBem.

Após a prova bastante papo com os amigos e comentários sobre a maratona de SP.

Agora continuar treinando com cuidado, sem excessos pra poder correr tranquilo lá no Rio, dia 17.